Lei do Karma – Parte 3

Lei do Karma – Parte 3

Namaskar

MINDFULNESS

Lei do karma – Parte 3

Olá, você pode muito bem seguir qualquer religião e acreditar na filosofia budista, que explica com perfeição a lei do Karma.

Vejamos as perguntas e respostas:

O que é filosofia budista ?

Você pode pesquisar pela internet sobre filosofia budista, achar renomados empresários falando, por exemplo Abilio Diniz.

Os fundamentos do budismo são 4 e são regidos pela lei do Karma.

Antes de mais nada o karma possui 3 aspectos, quais sejam:

1º) causa

2º) condição

3º) resultado

A dificuldade está na distinção entre causa e condição. A condição de agora será causa pro futuro. Tudo está correlacionado.

Por exemplo:

O indivíduo guia costumeiramente rápido e de forma imprudente no trânsito. Cada vez que ele faz isso é criada uma causa para um acidente.

Uma chuva torrencial cai deixando a pista escorregadia. O indivíduo derrapa na curva e bate com a cabeça o para-brisa e morre.

Causa- > guiar imprudentemente.

Condição -> chuva

Resultado-> acidente, morte.

A condição chuva pode ser causa para uma infinidade de acontecimentos, porem neste caso, foi a condição para que a causa imprudência, pudesse acontecer e dar o resultado morte.

Sempre que você pensar em karma avalie esses três aspectos.

Muito bem, dito isso entenda agora o que é filosofia

É acreditar profundamente em algo e ser coerente em todas as suas ações com essa forma de enxergar a vida.

Os 4 fundamentos que você deverá acreditar e seguir na filosofia budista

1º) Todos os fenômenos funcionais são impermanentes pois dependem de causa e condições- Lei do Karma

2º) Todos os fenômenos impuros são da natureza de sofrimento – O sofrimento que tudo permeia.

3º) Todos os fenômenos são vazios de natureza intrínseca, pois são interdependentes – Vacuidade.

4º) Além do sofrimento existe a paz, nada é eterno – NIRVANA

Entenda esses 4 fundamentos ou selos da filosofia budista e siga-o. É a chave para sua paz.

O que é caminho espiritual?

É um estado de consciência em que o indivíduo tem a convicção que a sua natureza não é mundana e sim espiritual. O desapego ao corpo grosseiro e suas captações através dos prazeres sensoriais, deverão ser entendidos  e praticados.

Posso então seguir a filosofia budista e ter devoção a um santo católico?

Sim, a filosofia budista não vai de encontro à nenhuma religião.
 

MINDFUL EATING

Agni- fogo digestivo

O nosso corpo é uma fonte de captação através dos nossos 5 sentidos, que interferem em nosso apetite e o que vamos comer.

A consciência alimentar, mindful eating, irá lhe proporcionar estabilidade às influências do entorno, principalmente por seres infantis que só querem saber de comidas práticas e saborosas.

Exemplo: biscoitos, pipocas de microondas, frituras e refrigerantes.

Vejamos as formas detalhadas de captação

1º) sólidos e líquidos. Bebida e comida.

2º) O Prana. O ar que respiramos

3º) As impressões dos 5 sentidos.

4º) Pensamentos

5º) emoções

A mais forte de todas são as emoções e governam o bom andamento do metabolismo.

Isso já foi dito aqui em maiores detalhes.

Quero chamar atenção de você hoje na observância do seu agni, fogo digestivo.

Ayurveda considera que nós não somos o que comemos, mas sim aquilo que conseguimos  ou somos capazes de digerir.

Existem 4 aspectos que você pode observar se você está com bom agni, quais sejam

1º)  Fome certa na hora certa

2º) leveza no estômago após duas horas da refeição.

3º) após as 2 horas não há mais a presença do sabor do alimento através de pequenos arrotos.

4º) nenhum sintoma de indigestão, por exemplo náuseas, sonolência, peso excessivo , azia, reflexo e formação de gases excessivos no intestino.

Irei aprofundar nas próximas oportunidades o assunto, mas desde já observe seu metabolismo  nesses 4 aspectos diariamente.

“Possa a consciência alimentar que ainda não nasceu, nascer e crescer. Possa aquela que nasceu não se degenerar e crescer para sempre”

Que a sua conexão com seres de luz ilumine seu discernimento.

Marcos Leite – Empresário, aluno do Dr. Ruguê em Ayurveda

Veja também:

Lei do Karma – Parte 1

Lei do Karma – Parte 2

Envie seu comentário